Blog

Acompanhe nossas matérias através do blog

Música Portátil

por Leila Sugahara

 

Nunca se viu em toda a história da humanidade tamanho fenômeno, o da música portátil, portável, compartilhável, onde quer que estejamos. É música pelo celular, Internet e a cada dia surgem novas mídias para disseminar música produzida pela própria mídia. Afinal, se hoje a música é tão acessível, porque tantos clamam por música de boa qualidade? O que leva algumas pessoas a afirmarem que a música veiculada pelos meios de comunicação, principalmente o rádio e a televisão, não condiz com o espírito da boa música, aquela que nos eleva a alma, e nos inspira os belos sentimentos e induzem ao amor? A música sempre refletiu os valores vigentes ou se opôs a eles ao longo da história. Todos os dias, milhares de crianças e adolescentes anseiam por novidades e trocam seus arquivos de MP3 e consomem produtos de seus ídolos musicais, no mesmo ritmo em que fazem os downloads e seus pais desesperados trabalham para suprir todos os seus desejos. Desejos que passam tão rápido quanto a sensação de felicidade que provocam. Entender o fenômeno da música em nosso século é compreender os rumos que tomam o destino da humanidade. A base de uma educação sólida é aquela que permanece e é baseada no amor, nos valores humanitários, pois disso depende a sobrevivência da própria humanidade. E que a música tem o poder de provocar os mais intensos sentimentos, disso ninguém duvida. O que isso tem a ver com educação? Se não educarmos os sentidos, e a música se revela como recurso imprescindível, que tipo de sociedade teremos quando essas crianças crescerem?

O que se revela assustador, é que hoje a música ao invés de reunir pessoas em rituais de amizade e alegria, está matando. Sim, matando. Outro dia, assistindo justamente televisão, ou seria acessando a Internet, seja como for, um grupo ou banda como se autodenominam, provocaram tamanho alvoroço e tumulto durante sessão de autógrafos, que crianças morreram pisoteadas, tudo para verem seus ídolos. Logicamente sabemos que os jovens integrantes da banda não são mais do que apenas marionetes desse perverso mercado midiático. Crianças que reproduzem tudo o que vêem na televisão, já que não se pode mais distinguir o real da fantasia, e o pior, o mundo real e o virtual confundem-se a ponto de sermos todos atores do mesmo show. Estamos perdendo a identidade. Crianças de uma cidade considerada o berço do samba paulista, não conhecem essa tão rica manifestação cultural e reproduzem com uma exatidão assustadora, a dança da banda Calipso. De qualquer modo, é a música ditando comportamentos, atitudes e valores. O que é música mesmo? Cada qual que busque um significado para seu fazer musical, mas a educação tem em seu papel, formar pessoas, e formar pessoas na música implica em trazer à tona os sentimentos e valores humanos através de um fazer musical responsável e isso diz respeito a todos, aos que produzem e aos que consomem música. Cabe à escola criar um espaço de verdadeira reflexão e produção de novos valores, tão necessário na formação de uma nova sociedade do século XXI, deixando de lado as reproduções e representações toscas do que se vê e do que se ouve. De acordo com a concepção vygotskiana de desenvolvimento e aprendizagem, da mesma maneira que imaginação se constrói a partir da experiência, a experiência pode ser construída a partir da imaginação, já que mesmo sendo fantasia, provoca sentimentos reais que são efetivamente vividos por quem os experimenta. E a educação musical tem muito a contribuir para que esse sonho se torne real e resgatar à condição humana, um fazer exclusivamente intencional e verdadeiramente humano: Música.


Leia Mais

Porque musicalizar crianças.

(texto publicado na Revista Cover Teclado ano2/no.10- coluna musicalizando – Ed. HMP e na apostila “Musicalização para crianças de 2 a 6 anos” – 1ª. Ed., 1998 – Sugahara, Leila Yuri).


Dúvidas sobre o porquê da musicalização de bebês são uma constante. Como já descrevi anteriormente, os sons e o ritmo (ritmo é movimento) estão presentes na vida do ser humano antes mesmo do seu nascimento, através do corpo da mãe e de suas respectivas reações e interações. Mas é a partir do nascimento que se torna realmente importante estimular e educar as funções cerebrais. De acordo com Walter Howard, autor de "A música e a criança", educar significa despertar. E despertar nunca é um empreendimento precoce, sendo indispensável entregar-se a ela sistematicamente desde os primeiros anos de vida, a fim de que a criança, mais tarde, veja-a como uma tendência natural de seu ser. Howard realizou experiências com bebês onde os exercitavam movimentando-lhes as pernas, cantando ou falando ritmicamente, onde o objetivo era proporcionar alegria à criança. Ele variava os tempos e os timbres (pedindo à mãe, ao pai ou por assobios cantar uma mesma melodia), evitando assim, o perigo de adestrar a criança. Os exercícios com as pernas tiveram naturalmente por resultado, o aumento da destreza manual, e por conseguinte, crianças observadoras, rítmicas, falantes, mostrando todas as faculdades motoras e técnicas bem desenvolvidas.
Jean Piaget, psicólogo suíço, descobriu que a capacidade cognitiva (aquisição de conhecimento) é uma evolução em estágios, dos comportamentos mais primitivos até o nível adulto do raciocínio lógico. O raciocínio é uma característica da inteligência. Portanto, inteligência é a capacidade de raciocinar, organizar e propor soluções para as questões que vão sendo apresentadas com graus de dificuldade cada vez maiores. O bebê, quando nasce, já dispõe de estruturas mentais (formas de pensar), que apesar de rudimentares só precisam ser estimuladas para se desenvolverem.

Leia Mais

Sobre Leila Sugahara

Leila Sugahara - Doutora e Mestre em Educação: Psicologia da educação pela PUC/SP. Realizou pesquisas sobre música e desenvolvimento, música na escola, representações sociais de música, teoria walloniana e escuta musical. Pianista, pedagoga e educadora musical, tendo como foco a formação de professores de música e o ensino de piano para crianças. (leia mais Sobre nós)

Blog

Música Portátil Postado 01/02/2014
POR QUE MUSICALIZAR BEBÊS?Postado 03/11/2014
A origem da músicaPostado 03/02/2015

Contato

Leila Sugahara
Cel e Whats App
(11) 97121-7953

Receba nossa Newsletter